logoExpo
logoCNCCR
nucleo_04

NÚCLEO 04

Corpo Morto

Ao longo do século XIX, o conhecimento médico dependeu largamente do saber adquirido pela anatomopatologia. Em Portugal, as autópsias eram realizadas nas Morgues desde 1899, e os Institutos de Medicina Legal foram criados em 1918, com sedes em Lisboa, Coimbra e Porto. Dirigidos pelos professores de Medicina Legal, aí se ministravam os Cursos Superiores de Medicina Legal que habilitavam os peritos forenses. Nos Institutos de Medicina Legal funcionavam os serviços de tanatologia e identificação dos cadáveres, toxicologia e biologia forense, o serviço de antropologia criminal e polícia científica e, ainda, a clínica médico-legal que examinava as vítimas de violência. Os Conselhos Superiores de Medicina Legal, integrados por peritos médicos e juristas, examinavam certos arguidos e pronunciavam-se acerca da sua imputabilidade criminal.